Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

julho 07, 2013

Os Anos de Concertos - 1970 - 26 de Janeiro a 23 de Fevereiro (Las Vegas)

Las Vegas - 57 Espectáculos - 2ª Temporada
Elvis estava de volta a Las Vegas e o resultado do sensacional regresso há 6 meses atrás foi que os espetáculos esgotaram ainda mais rápido do que em agosto. A reação do público foi tão boa como antes e os críticos elogiaram os seus concertos como antes.
 
Para aqueles que conheciam Las Vegas e estavam bem informados sobre a grande variedade de entretenimento existente na cidade, foi uma surpresa ver Elvis de volta depois de um tão curto intervalo, mas estas pessoas cometeram o erro de comparar Elvis e os seus fãs com outros artistas. Nick Naff do International explica esta diferença no livro Elvis, A Biography, de Jerry Hopkins: “Elvis muda por completo o metabolismo do hotel. E ele é singularmente significativo num aspecto: há uma ocupação constante. Para ver Tom Jones, eles chegam de avião, vêem o espectáculo e vão embora de avião. Elvis tem tantos fãs e tão fiéis que, por ele, chegam de avião, hospedam-se e ficam durante duas semanas e vão ver todos os espetáculos.”

A canção de abertura, Blue Suede Shoes, tinha sido alterada em favor de All Shook Up e as roupas de palco que Elvis usou eram os percursores dos muito reconhecíveis jumpsuits usados posteriormente. Eram em azul claro, branco e preto, mas com um design mais simples e com cintos menos vistosos que aqueles que ele viria a usar em anos posteriores.


A escolha das canções tornou a temporada de 1969 bastante direcionada para o rock’n’roll – desta vez Elvis tinha abrandado o ritmo do concerto ao introduzir várias baladas melodiosas no seu repertório. A grande orquestra deu um suporte tão suave como eficaz de canções como Don’t Cry Daddy, The Wonder of You, Let It It Be Me – e  a nova preferida, Polk Salad Annie. Elvis estava tão ativo sobre o palco como com os números mais mexidos, e a sua compreensível redução de energia durante esta segunda temporada em Las Vegas manifestou-se em menos exibições energéticas em cada noite quando comparado com a temporada anterior.



Desta vez o espetáculo de abertura também atraiu um grande número de celebridades: Dean Martin, Zsa Zsa Gabor, Juliet Prowse. O seu pai, Vernon, também se sentou por perto e assistiu à atuação do seu filho. Numa apresentação de Fats Domino, Elvis mencionou que Domino tinha sido uma grande influência para ele quando começou a cantar.

Uma diferença óbvia da temporada de regresso foi que Elvis deu concertos mais curtos. O seu contrato com o International especificava que ele devia estar em palco durante, pelo menos, 35 minutos, pois o hotel achara que as atuações de agosto passado de Elvis, de 80-90 minutos, eram  longas. Talvez eles temessem que menos tempo passado nas mesas de jogo diminuísse os lucros do jogo.


Quer a atitude do hotel tenha sido o motivo que justificou a duração dos espetáculos ou não, uma explicação tão boa quanto essa talvez fosse que, durante grande parte deste compromisso, Elvis adoeçeu da garganta devido ao ar quente do deserto. Talvez este também tenha sido o motivo que levou Elvis a falar muito menos entre as canções e a ficar sobre o palco, por vezes, durante apenas metade do tempo que em 1969.

Presentes no público, de entre pessoas que tinham vindo de longe, contavam-se Ringo Starr, que viera de Nova Iorque e a cantora francesa Françoise Hardy, que viera numa viagem desde Paris durante dois dias apenas só para ver Elvis: “Elvis foi fantástico e valeu cada quilómetro e cada franco gastos. Ele é um dos  poucos que tem presença em palco. O fato de ele ter cantado tantas canções novas também mostra que se sente interessado pelo que se passa na música pop.”

O espectáculo de encerramento foi longo e muito bom. Priscilla foi notada quando chegou com um vestido longo preto e aberto nas costas. Durante o concerto ela encaminhou-se para o palco, mas Elvis não reparou nela ali parada e continuou com o espetáculo. Isto tornou-se um pouco embaraçoso para Priscilla, que ficou ali parada, com os olhos cheios de lágrimas. O público começou a gritar para Elvis que Priscilla estava na parte lateral do palco e ele foi até lá, deu-lhe um beijo e, enquanto ela voltava para o seu lugar, ele comentou: “Onde é que eu já vi aquela garota?”

O longo compromisso mensal de Elvis em Las Vegas significava grandes rendimentos e não apenas para o International. “Todos querem ver Elvis e é embaraçoso ver quanto dinheiro as pessoas dão ao pessoal do International para obter um bilhete pelo melhor assento possível. No Riviera Hotel, que fica bem pertinho do International, Dean Martin, que foi a última grande estrela do ano passado em Las Vegas, ainda está atuando. E os espetáculos dele são normalmente dados para salas com apenas metade da capacidade.” Martin é o primeiro a reconhecer o seu oponente: “Elvis deu um espetáculo fenomenal,” disse depois do espectáculo de abertura.

 
 
 Quando Elvis terminou a sua segunda temporada em Las Vegas e, pela última vez, Can’t Help Falling in Love, saiu pelos microfones da sala de espetáculos, não havia um único lugar vazio – semelhante à temporada de 1969 e – como se veio a saber – semelhante a todos os concertos que Elvis viria a dar em Las Vegas.

No período de 16 a 19 de Fevereiro a RCA fez gravações dos espetáculos de jantar de Elvis e depois de algumas misturas feitas em Nashville em Março/Abril, as gravações foram transformadas num álbum intitulado On Stage.

Em 24 de Fevereiro, Terça-Feira, o “Coronel” Parker e o seu grupo chegaram a Houston, onde deram entrada no Astroworld Hotel. Iam preparar tudo para os eminentes concertos de Elvis no enorme Astródomo de Houston, que podia sentar 40.000 pessoas.

Os jumpsuits brancos de 1969 que foram usados tinham franjas curtas ou longas ou até franjas com pérolas. Acessórios como cintos tornaram-se mais chamativos, se bem que os cintos de macramê ou dourados que estava usando  agora fossem simples quando comparados com os cintos  que se seguiriam.

Alguns dos jumspuits deste ano receberam nomes, tais como o “Pearl Suit” , que Elvis usou na foto da capa do seu álbum On Stage, lançado em Fevereiro .


CANÇÕES CANTADAS

Mais utilizadas:

All Shook Up
I Got a Woman
Proud Mary
Don’t Cry Daddy
Long Tall Sally
Let It Be Me
Walk a Mile in My Shoes
That’s All Right
In the Ghetto
Runaway
Yesterday
Kentucky Rain
Sweet Caroline
Polk Salad Annie
Suspicious Minds
I Can’t Stop Loving You
True Love Travels on a Gravel Road
See See Rider
Love Me Tender
Hound Dog
Lawdy Miss Clawdy
Blueberry Hill
One Night
It’s Now or Never
The Wonder of You
Release Me
Sweet Inspiration
Teddy Bear/Don’t Be Cruel
Can’t Help Falling in Love

Só alguns versos:

Everybody Loves Somebody
Old Shep
More

Nenhum comentário:

Postar um comentário

back to top