Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

junho 28, 2013

The Best of Elvis - O Tipo de Música


Oi gente, publico hoje mais uma parte do livro The Best of Elvis pra vocês, agora dando continuidade a parte o Meu tipo de Música.
Desde a primeira visita à Igreja da Primeira Assembleia de Deus em East Tupelo com os seus pais que a religião foi uma influência constante. A fé deles não estava afetada por dogmas complicados. Todos os homens eram pecadores que se podiam libertar aceitando a presença de Deus nas suas vidas. Elvis ouvia a sua família e vizinhos cantar hinos religiosos em todas as reuniões na igreja. Aos domingos essas reuniões eram lideradas pelo Reverendo Frank Smith, que tocava guitarra. Elvis escutava a congregação entusiástica cantar gospel, observava os pregadores gritar, a saltar por todo o palco, e a incentivar a sua congregação a chegar a um êxtase alegre. Elvis via como um pregador conseguia levar uma multidão a concentrar-se nele e na mensagem que tinha para transmitir.

Em Memphis Elvis frequentava a Igreja da Primeira Assembleia de Deus. Os Presley nem sempre iam juntos e por vezes Elvis ia sozinho, indo de ônibus de casa até à igreja. Elvis frequentava a escola de domingo e cantava no coro da igreja. O famoso quarteto de gospel, os Blackwood Brothers, juntou-se à igreja e Elvis ficou amigo deles e das suas famílias.

Elvis também frequentava a Igreja Batista East Trigg, onde o Reverendo Harper Brewster pregava. Um compositor muito conhecido, Brewster combinava a mensagem sagrada nas suas composições de gospel com uma influência de blues. O Reverendo e a maior parte da sua congregação era de raça negra. No seu programa de rádio na WDIA, encorajava as pessoas de raça branca a participar nos cânticos e nos seus encontros de domingo. Anos mais tarde o Reverendo Brewster elogiou Elvis por ter transcendido as barreiras raciais da sua época, tudo devido ao seu amor pela música.


Elvis, com os Blackwood Brothers e J.D. Sumner

Elvis também assistia a concertos de gospel no Ellis Auditorium em Memphis, todos os meses. Quando os seus amigos, os Blackwood Brothers, atuavam lá, ele ia visitá-los nos bastidores. Também ficou amigo de J.D. Sumner, um cantor de voz grave que se juntou aos Blackwood em 1954. Um mês, quando Elvis não conseguiu ir porque não tinha dinheiro suficiente para comprar o bilhete, J.D. disse-lhe que não precisava do dinheiro; a partir daquele dia ele entraria pela porta dos fundos de graça. J.D. costumava brincar dizendo que não iria faltar muito até ser Elvis a deixá-lo entrar pela porta dos fundos dos seus concertos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

back to top