Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

junho 11, 2013

A imprensa fala sobre Elvis Presley

Depois do show de estréia em Las Vegas, em 31 de julho de 1969, a imprensa ao redor do mundo falou demais a respeito de Elvis. Assim vamos começar hoje uma série de posts sobre essas publicações da época. Começando com:

New Musical Express, Inglaterra. Por Ann Moses:
Legenda: A jornalista inglesa, Ann Moses, acompanhada de Elvis.

Elvis outra vez ao vivo! E estive lá para assistir e contar tudo! Estou tão entusiasmada que as minhas mãos tremem sobre as teclas da máquina de escrever e a minha mente é um turbilhão. Só espero fazer justiça para com esta ocasião histórica – Elvis de volta a um palco, dando um concerto ao vivo, depois de tantos anos.

A sua forma trémula de cantar, a sua voz forte, as suas piadas soltas, a sua forma de ser tipo pantera, vestido de preto, emagrecido por seis semanas de ensaios extenuantes, a sua graça corporal animal... são estas as coisas que estão me fazendo tremer!

Não são muitas as vezes em que um escritor se sente verdadeiramente inspirado mas tão entusiasmado que é difícil de escrever! Por mais que eu amasse produzir uma prosa jornalística fluida para descrever o espetáculo ao qual assisti e no qual também participei (por assim dizer, visto que cada elemento do público de Elvis faz parte do seu espetáculo), tentarei em vez disso apenas relatar, o mais rápido que os meus dedos me permitirem, o que vi esta noite.

Antes do microfone ecoar o seu nome, lá estava ele, nas alas. Depois, num ápice, ele aventurou-se sobre o palco, uma figura magra, de preto, tipo gato. Sim, aventurou-se... não de uma maneira despreocupada,  mais de uma maneira tímida... com aquela sensação de incerteza. Lembrem-se que já passaram mais de 9 anos. O que foi espantoso durante o concerto foi que não houve uma falha, um deslize, um erro. Apenas suavidade do princípio ao fim. Não é difícil de imaginar que se seguiam salvas e salvas de aplausos durante as primeiras palavras de cada canção, de todas, menos de uma, que era conhecida e amada. O seu número de bis foi Can’t Help Fallin in Love. Havia  pouco a dizer, poucas descrições a fazer, exceto – rezem para que esta seja uma tendência para Elvis, para que o mundo possa partilhar este incrível talento!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

back to top